Mercado ImobiliárioPreço das Casas

TESTE

José Cabral

Mesmo numa país com pouco mas de 90.000m2, a diversidade é ampla. Dizer-se que os preços das casas em Portugal sobem ou descem é uma afirmação vaga se não tivermos uma noção clara dos valores que são ou eram praticados numa dada área numa determinado espaço temporal. O que fiz não foi mais que registar e acumular dados sucessivos do Índice de Preços da Habitação e das Estatísticas de Preços da Habitação ao nível local, partilhados trimestralmente pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), para que possa ter uma percepção clara dos valores medianos praticados, ao longo dos últimos anos, nas maiores cidades portuguesas, em cada um dos concelhos da Área Metropolitana de Lisboa (AML) e em cada uma das freguesias da capital.

Boaventura, costa Norte da ilha da Madeira

por Balate Dorin

O Gráfico 1 mostra-nos a evolução da mediana do valor/m2 entre o 1º trimestre de 2016 e o 4º trimestre de 2019 em Portugal e nas sete cidades nacionais com mais de 100.000 habitantes (e a taxa de variação entre os dois momentos).

Evolução da mediana do valor/m2 das habitações em Portugal e nas sete cidades com população superior a 100.000 habitantes.

INE

Veja-se o exemplo de Porto e Coimbra, duas cidades com apenas cerca de 120km de distância. No 1º trimestre de 2016 a diferença entre a mediana do valor/m2 de uma casa em cada uma destas cidades era de apenas um euro (1088€ vs. 1087€). Na verdade, um ano depois (1º trimestre de 2017) a o valor em Coimbra estava 52€ acima do Porto (1176€ vs. 1124€). Mas, a partir do 2º trimestre de 2017 a variação de preços no Porto disparou (de resto, no período em causa ela é superior ao triplo da variação verificada em Coimbra). Ou seja,  Quando reparei nestes dados lembrei-me daquilo que estudei há cerca de 30 anos numa disciplina chamada então de Estudos Sociais, na qual aprendi que Portugal era um pais bimacrocéfalo: Lisboa e Porto são o centro nevrálgico de uma rede de transportes que a eles conduz investimento, turismo e novas oportunidades. O Porto assegurou, entre outras coisas, ter um aeroporto dinâmico, captar investimento estrangeiro (até à crise pandémica, a procura por escritórios na cidade superava em larga escala a oferta existente), seduzir estudantes internacionais (a Porto Business School continua a marcar presença nos tops internacionais) e reabilitar o centro da cidade e captar massas enormes de turista. Argumentos com os quais, nos últimos três anos, a mais antiga Universidade do País ou a Estação de Comboios de Coimbra-B não conseguiram competir.

Se em Lisboa a subida consistente de preços teve maior impacto durante os anos de 2017 e 2018 e conheceu, em 2019, um abrandamento significativo, pode dizer-se que, na Amadora, o ano passado continuou a registar valorizações significativas.  Mas passemos agora de uma visão sobre as cidades mais populosas para os concelhos da Área Metropolitana de Lisboa (AML). Uma nota apenas: Lisboa é o único caso da AML em que a o concelho coincide com a cidade (os valores da Amadora que constam no gráfico 1 dizem respeito à cidade, os valores que constam na tabela 1 referem-se ao concelho).

evolução do valor/m2 em Lisboa e nas respectivas freguesias

Este site utiliza cookies da Google para disponibilizar os respetivos serviços e para analisar o tráfego. O seu endereço IP e agente do utilizador são partilhados com a Google, bem como o desempenho e a métrica de segurança, para assegurar a qualidade do serviço, gerar as estatísticas de utilização e detetar e resolver abusos de endereço.
Aceitar